Desafio 4 on 4 – julho

Hello everyone!

Voltamos com o 4 on 4 ligeiramente atrasado por problemas técnicos.

O tema escolhido para o mês foi flores, um tema que curti bastante, embora eu tenha feito tudo às pressas e não o desenvolvi como eu queria…. mas bora ver o que aprontei:

 

 

Começando com um lettering florido em nanquim e aquarela <3

Como deixei as ilustrações para muito em cima da hora, optei por trabalhar as demais ilustrações com marcadores, que demandam bem menos tempo na execução.

 

 

Just Breathe Deeply (corrigindo a letra que comi com meus inglês da Jamaica)

 

 

 

Então é isso pessoal, espero que tenham gostado das minhas ilustrinhas do mês e acompanhem também o desafio nos blogs das queridas Bia Reys, Nathaly CavalcanteIzabella Cordeiro.

See you <3

Tag: descobrindo novos blogs – parte 2

 

Hello everyone!

Para essa tag fui indicada por duas divas da ilustração que sou fã de carteirinha: Lidy Dutra e Bia Reys <3. E resolvi responder as perguntas das duas!

Porém, o post ficou gigantesco como era de se esperar e tive que dividir em duas partes.

Vamos à segunda parte com as perguntas da Bia:

 

  1. Quando foi que você descobriu que tinha algo (a sua arte) a oferecer a alguém?

Não sei ao certo quando isso aconteceu, mas sei que de repente percebi que minha arte podia agradar e despertar sentimentos em outras pessoas e isso é muito incrível pra mim.

 

  1. Você já encontrou o seu estilo? Como foi esse processo?

Embora eu acredite que o estilo da gente esteja em constante evolução, eu sinto que achei o meu caminho sim, hoje meus desenhos têm características que os tornam reconhecíveis e isso é algo muito importante para um artista.

O processo foi bem longo, eu não ficava o tempo todo tentando “achar meu estilo”, isso é algo que acontece naturalmente, mas requer bastante tempo de prática e observação de outros artistas para que possamos chegar ao resultado que tenha realmente nosso ~jeitinho~.

 

  1. Como você definiria o seu trabalho?

Busco sempre mostrar em meu trabalho algo lúdico e delicado, tudo bem inspirado no universo infantil, mesmo quando uso meus desenho para tratar temas mais pesados e polêmicos.

 

  1. Nos conte sobre o seu processo de inspiração.

Acho que como a maioria dos artistas, minha inspiração vem de coisas do meu cotidiano e de tudo que eu gosto (filmes, séries, animações, livros…).

 

  1. Nos conte sobre o seu processo de criação.

Não tenho nada tão definito, gosto muito de criar personagens aleatórios, sem referência nenhuma mesmo, mas também adoro fazer uma fanart para ver algum personagem que curto no meu traço.

Para me inspirar gosto de visitar o instagram  de outros ilustradores, além do pinterest que me salva nos momentos mais “travados”

 

  1. O que você tem feito para melhorar o seu trabalho?

Busco praticar sempre e luto bastante contra a preguiça para que eu consiga estudar ao menos um pouquinho todo dia. Ok que acabo falhando alguns dias, mas tenho conseguido uma boa frequência.

 

  1. É importante a gente saber sobre nossas capacidades e limitações, mas as limitações, até certo ponto, podem nos estagnar. Até onde você se limita? Como você vê essa questão?

Acho bem difícil sair da zona de conforto pois é muito gostoso quando o desenho sai lindão, e desenhando algo costumeiro é bem mais garantido chegarmos a bons resultados. Porém sempre chega uma hora que a gente precisa se desafiar para chegar a outro estágio de evolução. Isso acontece muito comigo, tenho minha zona de conforto, e sim, gosto dela, mas tenho consciência das minhas limitações, como por exemplo construção de cenários, perspectivas, anatomia (cada dia descubro uma dificuldade diferente…) e tento não deixá-las de lado e busco estudar esses pontos fracos para que aos poucos eu possa superá-los.

 

  1. A comparação com outros artistas é inevitável quando estamos começando a desenhar, mas, depois, ela se torna um meio de nos bloquear. Você concorda com isso, ou tem um outro ponto de vista? Se sim, no conte!

Nunca me senti bloqueada por comparações, muitas vezes fiquei feliz por me compararem com artistas que admiro. Acho que o problema não é a comparação e sim quando você se espelha em algum artista de uma maneira que não consegue encontrar o próprio caminho.

 

  1. Alguma vez você já pensou em desistir do que faz? Se sim, por quê?

Desistir não, mas já passei por muitos períodos de baixa produção e os motivos geralmente foram de falta de motivação ou falta de tempo mesmo, mas nunca cogitei parar de vez.

 

  1. O autorretrato é uma forma antiga de expressão e autoafirmação, é uma forma de o artista se colocar no mundo. Nos mostre um autorretrato aqui! (pode ser um rabisco à grafite, se preferir).

Sempre tive a impressão de que todas as minhas ilustrações são autorretratos, muitos com características muito diferentes, mas todos me refletem (eu acho). Mas ao mesmo tempo acho bem difícil me desenhar, nunca acho que ficou parecido… mas vai uma ilustrinha que fiz recentemente que foi feita intencionalmente para ser um desenho meu (com o marido junto, mas é o mais próximo de autorretrato que eu tinha).

 

Amei muito responder essas perguntinhas!!! A ideia original seria eu criar outras 10 perguntas e convidar outras meninas para responderem, porém travei super na hora de criar as perguntas e como não quero quebrar a corrente, peço licença para a Bia, para convidar outras meninas para responderam as perguntas dela.

Convido a responder:

Nathália Ferrari  naodisse.com

Nathaly Cavalcante www.nathalyartes.com.br

Paula Januzzi paulajanuzzi.blogspot.com.br

Thaís Palma www.thaispalma.com

Yas Hassegawa www.yashassegawa.blogspot.com.br

 

 

E que mais tiver afim <3

Tag: descobrindo novos blogs – parte 1

Hello everyone!

Para essa tag fui indicada por duas divas da ilustração que sou fã de carteirinha: Lidy Dutra e Bia Reys <3. E resolvi responder as perguntas das duas!

Porém, o post ficou gigantesco como era de se esperar e tive que dividir em duas partes.

Nessa primeira parte vamos para as perguntas da Lidy:

 

  1. Qual é a sua primeira lembrança relacionada à arte?

Minhas primeiras lembranças são colorir na escola e como toda criança, gostar muuuito disso.

 

  1. Com quantos anos você começou a desenhar?

Além dos desenhos na escola desde que comecei a estudar com 3 anos, me lembro de lá pelos 6 anos tentar copiar desenhos da Disney e receber elogios da família (acredito que foi daí que veio o incentivo para as artes).

Continuei a desenhar parte da minha adolescência, até entrar na faculdade, que apesar de eu ter me formado em design gráfico, uma área relacionada as artes, me afastou bastante dos desenhos.

Depois de anos desenhando muuuito esporadicamente e totalmente enferrujada, voltei a desenhar e me encontrei na ilustração.

 

  1. Quando descobriu que a arte poderia ser sua profissão?

A escolha da minha graduação foi totalmente guiada por minha paixão pela arte, embora como eu já disse, a parte técnica do design tenha me afastado da arte por um tempo.

 

  1. Qual é o seu material favorito?

Tenho muito amor pela aquarela pois foi a descoberta dela que me deu gás para praticar mais e por consequência evoluir. Mas também tenho gostado cada vez mais de marcadores, em especial dos copic que dão um resultado muito bom.

 

  1. Qual é o seu maior desafio artístico?

Acredito que seja continuar evoluindo.

A duras penas cheguei a um traço que eu gosto e me representa, é maravilhoso chegar nesse estágio, mas isso deixa a gente numa zona de conforto que pode atrapalhar. Sou ciente do quanto preciso me aprimorar e me policio sempre para não cair na armadilha de me contentar com o estágio que cheguei.

 

  1. Qual é o seu artista favorito?

Acho que não tenho um artista favorito, tenho váaarios artistas que admiro e tomo como referência. Muitos são internacionais, mas acho que na mesma proporção eu curto a galera daqui. As divosas Lidy Dutra e Bia Reys que me convidaram para responder a tag estão entre os artistas que amo. <3

 

  1. Se pudesse escolher uma trilha sonora para sua vida artística, qual seria?

Amo The Beatles, é a trilha sonora da minha vida! Mas vou deixar With a little help from my friends que é muito delicinha.

 

 

  1. Qual ilustração sua você considera seu maior orgulho?

Acho que  eu não tenho uma que seja meu maior orgulho. Como estamos sempre em processo de aprendizagem, geralmente minha favorita é sempre a última.

 

  1. Você já tentou desenhar com a sua mão esquerda (ou direita, para canhotos)? Como ficou?

Sou canhota e já fiz umas brincadeiras de escrever ou desenhar com a mão direita. Não fica lá muito bom, mas também não tão tosco, já que o mundo é dos destros e eu fui forçada a ter um certo grau de desenvolvimento com a mão direita, inclusive o mouse eu só uso com a direita.

 

  1. Mostra pra gente uma imagem do seu mais recente trabalho.

 

Estou só amorzinho com esse trabalho (já disse que sempre puxo sardinha para o último haha).

Amei muito responder essas perguntinhas!!! A ideia original seria eu criar outras 10 perguntas e convidar outras meninas para responderem, porém travei super na hora de criar as perguntas e como não quero quebrar a corrente, peço licença para a Lidy, para convidar outras meninas para responderam as perguntas dela.

Convido a responder:

Aline Tiemi www.alinetiemi.com.br

Carla Almeida  www.sobrerabiscos.com.br

Cruella  blogdacruella.blogspot.com.br

Graziela Andrade www.grazielandrade.com.br

Lhaiza Morena  www.lhaizamorena.blogspot.com.br

Marianita  oimarianita.blogspot.com.br

 

 

E que mais tiver afim <3